Terça-feira, 21 de Abril de 2009

A China e a “Anti-globalização”

Ni hau a todos, eis-me de volta a este meu blog, deixado em stand-by desde há 3 meses. Tenho andado cansado e as mudanças na minha vida também têm sido muitas o que por vezes me tira o tempo e a vontade de “postar” algo por aqui…

Hoje não pude deixar de o fazer, não consegui, faço este post não apenas como um alerta, como uma informação ao mundo, mas também e principalmente como uma espécie de terapia… para mim próprio…

Não foi a primeira vez, já outras vezes tinha sentido em algumas situações que o facto de ser estrangeiro nestas terras me fecha algumas portas e me barra caminhos desviando-me para locais mais confortáveis e cómodos para os locais mas pela primeira vez senti, com toda a certeza e clarividência que na China também há RACISMO, XENOFOBIA ou talvez um certo SEPARATISMO, uma espécie de “APARTHEID” na versão chinesa. Pela primeira vez senti que me foi barrado o acesso a um local público, a um espectáculo público para o qual eram inclusivamente vendidos bilhetes de ingresso mas não a mim, porquê? Acredito que simplesmente pelo facto de não ter cara oriental, não ser oriental, não ser da mesma “raça”…

O espectáculo de que falo nada tinha de especial, creio, era apenas um espectáculo tradicional de “ópera chinesa” muito comuns nesta altura do ano e, apesar de ter a noção que estes espectáculos encerram muitas vezes cultos de carácter religioso ou de culto aos antepassados nunca pensei que me pudesse ser barrado o acesso a um espectáculo que reafirmo uma vez mais, era público, e em lugar público e do qual tive conhecimento pela publicidade feita nalguns jornais.

Mas, na verdade, percebei que não se destinava a mim, estrangeiro, mas apenas a um grupo mais restrito onde os outsiders não estão incluídos e muito menos são bem-vindos.

Num mundo que se diz cada vez mais global e onde a palavra “globalização” anda na boca de todos parece-me que descobri a maior forma de “anti-globalização” que existe – o RACISMO, a XENOFOBIA e o SEPARATISMO entre culturas…

 

Tempo para hoje:
Terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

Ano do Búfalo?!

Pois é, cá por estes lados já anda tudo doido com os “Kung Hei Fat Choi” e os “Lai See”, as ruas, as casas, as portas dos edificios públicos e não só e tudo mais estão replectos de laternas, luzinhas e todo o tipo de apetrechos em tons vermelho-vivo e... claro... ouro, muito ouro...

 

Como é normal, com a próximidade da celebração de um novo ano lunar, o “animal” que se segue no horóscopo chinês ganha uma maior importancia e tudo ou quase tudo tem a imagem do “dito” impresso, colado, esculpido, etc...

 

Mas reparei que vejo vacas em todo o lado e pensei, espera lá, então mas o ano que aí vem não é o ano do BÚFALO?!

 

Parece que sim, mas apesar de ser o ano do búfalo o que vejo são desenhos muito “cute” de vaquinhas mais sorridentes que a outra dos queijos triangulares e pasme-se, com grandes pestanas e olhos azuis?!

 

É pá, algo vai mal na cabeça desta gente, é que substituir o búfalo pela vaquita, não estando muito correcto ainda vá lá que não vá que o a búfalo realmente é um “bicho” um bocadinho “feiote”, agora que a dita vaca tenha um sorriso “colgate”, grandes pestanas e olhos azuis, digamos que já começa a ser assim um certo exagero estilístico, ou será que não?

 

Tempo para hoje:
Terça-feira, 23 de Dezembro de 2008

O Natal na terra de Mao

Mais um ano, mais um Natal à porta, o que mudou, pouco, talvez, se calhar ficou na mesma tudo o que deveria ter mudado. Por Sichuan continua o caos mas agora sem luzes nem ribalta e muito menos câmaras de tv, continua tudo por fazer, tudo por reconstruir, ouvi outro dia alguém dizer que “...estavam à espera que passasse esta fase porque poderiam haver mais terramotos na zona quando estivessem a reconstruir...”, sorri, entredentes e pensei, haverá justificação mais absurda?!

 

Quanto aos chineses, já se sabe que o Natal só entra no calendário deles porque é nessa altura que vendem para o MUNDO (e ARREDORES) todo o tipo de bugigangas mais ou menos inúteis para “alegrar” o nosso Natal, o nosso Natal das luzinhas às côrzinhas e a piscar, o natal dos pinheiros de plástico, do Pai Natal, das bolinhas, estrelinhas e sininhos e de todos os outros artifícios.

 

Mas este ano algo se passa, vejo de súbito algumas lojas em encherem as mostras de “Merry X’mas” e outras saudações da época e vejo os chineses, eles mesmos, numa azafama de prendas para cá e para lá como se o Natal, para eles, sempre tivesse existido... e penso... realmente nunca ninguém deve pensar no bem que me sabe, ser ocidental e poder aqui e agora viver o “verdadeiro Natal”...

 

Um Feliz Natal a todos, ou, como se diz por aqui, Sheng Tan Kuai Loh.

 

 

Quarta-feira, 24 de Setembro de 2008

Capitalismo "Made in China"

Pois é, tinha que acontecer... já todos sabíamos que mais dia menos dia que nem um ciclo vicioso que teima em não parar havia de aparecer mais uma noticia daquelas que QUASE que dispensam mais comentários, digo QUASE porque desta vez vou ter que dizer mais uma ou outra coisinha.

 

Quem por cá anda sabe que é prática recorrente essa história das FALSIFICAÇÕES e das IMITAÇÕES, o problema é que parece que há muito boa gentinha para a qual estas práticas não têm mesmo quaisquer limites, nem mesmo os da consciência (que é coisa que muito sinceramente a maioria dos chineses “de negócios” parecem nem sequer saber o que é, quanto mais TER). A China dos dias de hoje é isso mesmo, é uma China TOTALMENTE CAPITALISTA (aliás, como sempre foi) mas que já não tem tanto receio de o mostrar, até porque já percebeu que o MUNDO está todo para o mesmo... convém referir apenas como nota que uma das empresas já referenciadas como produzindo leite com estes problemas é a Yili um dos parceiros e patrocinadores das últimas olimpíadas o que deve querer dizer qualquer coisa.

 

Este capitalismo “selvagem” aliado à sede tipicamente chinesa de enriquecer e ser famoso e poderoso a todo e qualquer custo leva a todo o tipo de práticas das quais o mundo, a conta-gotas, vai tendo ALGUMAS imagens.

 

O recente caso do leite “contaminado” é, apenas, mais uma dessas pequenas gotas, mínimas e insignificantes como todas as outras que existiram anteriormente e todas as que ainda vão aparecer, hoje, amanhã e depois... toda a gente sabe que isso acontece, todos, incluindo os governantes que compram desse mesmo leite (que se sabe não estar em condições) para dar às crianças nas escolas...

 

Mas porquê tanto espanto?! Acham que é só na China que isso acontece?! Analisem convenientemente (e de forma isenta) por exemplo, o leite que o Ministério da Educação distribui nas escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico em Portugal... será que é leite de alta qualidade?! Mais do que o mandar analisar... provem-no... façam esse pequeno teste... provem-no e vejam se vos sabe ao leite que compram e que têm em vossas casas.

 

A diferença entre os dois casos é que a “falta de consciência” e a sensação de constante impunidade para estas situações que existe na China, leva a que as situações sejam mais gravosas e levam a doenças graves e mortes, caso contrário, ninguém saberia de nada...

 

Para finalizar, gostaria que pensassem numa coisa, numa coisa pequenina, um pequeno detalhe que passou e passa despercebido à maioria. Segundo os últimos desenvolvimentos a “contaminação” com Melamina servia o propósito de “enganar” os testes de proteínas e fazer passar nos mesmos, leite sem qualidade, agora imaginem em que condições estarão estes animais que nem leite conseguem produzir com o mínimo de qualidade para passar nos (supostos) testes...

 

Dá que pensar...

 

 

Tempo para hoje:
Terça-feira, 29 de Julho de 2008

Pela China... Continuam as CAMPANHAS EDUCATIVAS...

Depois da maravilhosa conferência de imprensa do sr. Zhang Zhenliang, chegou a vez do governo regional de Pequim alertar a sua população para mais uma série de coisas a não fazer durante os Jogos Olímpicos.

Segundo o jornal oficial Notícias de Pequim, as autoridades chinesas publicaram um aviso que apela aos cidadãos mais curiosos da cidade para evitarem colocar as "oito perguntas", que podem “envergonhar” os estrangeiros que vêm assistir aos Jogos.

Os cartazes que o governo municipal colocou no distrito de Dongcheng, na capital chinesa possuem indicações como:

"Não faça perguntas sobre pormenores pessoais ou relacionados com o contexto familiar, não faça perguntas acerca de rendimento ou despesas pessoais, não faça perguntas sobre os bens da família".

e

"Não faça perguntas acerca da idade ou do estado civil, não faça perguntas sobre o estado de saúde, não faça perguntas sobre onde vive a família, não faça perguntas sobre política ou religião e não faça perguntas sobre a vida amorosa", indica o aviso oficial.

As chamadas “oito questões a evitar” são mais uma das numerosas iniciativas que pretendem “limar” a imagem da capital chinesa para que esta se apresente irrepreensível ao resto do mundo durante os Jogos Olímpicos, entre 08 e 24 de Agosto. (só mesmo durante esses 15 dias porque depois volta tudo à NORMALIDADE)


 Ainda de acordo com as autoridades oficiais chinesas, o presente “aviso” serve para, e passo a citar: “evitar a vergonha por falta de educação”.

De realçar que Pequim investiu 2,5 milhões de dólares (cerca de 1,7 milhões de euros) em campanhas de civismo e boas maneiras coordenadas pelo Departamento de Desenvolvimento Cultural e Ético de Pequim.

Desta MEGA-CAMPANHA, e ainda citando as autoridades chinesas, “constam avisos e esforços para desencorajar comportamentos rudes como cuspir para o chão ou desrespeitar as filas de espera, bem como medidas para melhorar a qualidade atmosférica em Pequim e acabar com as actividades ligadas à indústria sexual”. (meus amigos, desculpem lá mas estas eu só acredito quando VIR com os meus PRÓPRIOS OLHINHOS, isso é praticamente “cuspir” nas tradições chinesas)


As perguntas a evitar, hoje divulgadas, pretendem evitar choques culturais que levam os estrangeiros a serem confrontados com perguntas que consideram incómodas ou impertinentes, mas que os chineses encaram como um diálogo inofensivo.

A pergunta acerca do salário auferido é uma das questões mais comuns (quem diria e eu que pensava que eles nem falavam de dinheiro) que faz com que a maioria dos estrangeiros fique sem resposta, sobretudo porque os rendimentos dos cidadãos estrangeiros tendem a ser superiores aos dos chineses. (jura! Então os chineses que rematem e perguntem quando custa no país deles um carro – principalmente se estivermos a falar de portugueses)


Os chineses também têm pouco pudor na hora de perguntar a idade a alguém e não se coíbem de dizer a uma pessoa que ela está "gorda", que é considerado um elogio associado a uma vida próspera. (claro que sim, por isso que eles são todos GORDISSIMOS que nem um cabo de vassoura)


Por último cabe referir que o distrito de Dongcheng, onde os cartazes começaram a ser colocados, é o distrito onde se encontram a “Cidade Proibida” e muitos outros locais históricos e turísticos frequentados por estrangeiros, além de algumas das principais infra-estruturas olímpicas.

Tempo para hoje:
Quarta-feira, 23 de Julho de 2008

Haja paciência... de/para chinês

Li num jornal uma coisa que realmente me deixou perplexo acerca da capacidade chinesa para “inventar” problemas. Trata-se de um processo em tribunal movido pelo artista chinês Zhao Bandi (mais um daqueles nomes a fixar). A noticia dizia que o sr. Zhao deu entrada com um processo em tribunal contra a DreamWorks, produtora de Steven Spielberg, por considerar o filme "Kung Fu Panda" um insulto contra o panda, símbolo da China e, como tal, contra a nação chinesa.

Mas o que terá de tão grave o filme de animação que levou o sr. Zhao a tomar esta decisão!? Ele próprio explica nas suas palavras “...o panda protagonista, Po, tem olhos verdes..." e "...é filho de um pato", o que o leva a considerar que esse facto é uma "distorção moral".

Para quem não sabe (ou ainda não tem o DVD pirateado por morarem muito longe da China) "Kung Fu Panda" é uma comédia de animação que tem lugar na China e que conta a história de Po, um Panda que deixa de trabalhar como empregado de mesa no restaurante do seu pai (o pato) e se transforma num herói das artes marciais cujo destino é cumprir uma antiga profecia e salvar o seu condado de uma catástrofe.

Segundo o sr. Zhao, existe ainda um outro motivo para apresentar a queixa, é que no filme em questão, o personagem Po aprende o kung fu, arte marcial tradicional da China, com um "urso americano" o que é (sem dúvida alguma) uma vez mais “ultrajante” para o povo chinês, explicando ainda que a denúncia feita no Tribunal Popular do Distrito de Chaoyang - Pequim, contra a DreamWorks e a distribuidora do filme no país, a Paramount Pictures China não tem como objectivo retirar benefícios financeiros mas sim exigir que a produtora de Spielberg peça desculpas publicamente através da imprensa chinesa.

E lendo esta noticia leva-me a pensar “realmente, há mesmo gente no mundo que apesar das crises, guerras e catástrofes que nos assolam todos os dias, ainda há gente com tempo suficiente nas mãos para se lembrar de tamanha PARVOICE. Oh sr. Zhao... cresça... e apareça... e já agora não veja tantos filmes de animação para crianças se não possui maturidade suficiente para os entender... ok?”

Quanto à DreamWorks e a Spielberg é provável que lhe mandem um postal de “Kung Hei Fat Choi”...

 

Tempo para hoje:
Quarta-feira, 16 de Julho de 2008

Os Jogos Olímpicos da Boa Educação ou Como fazer Pierre de Coubertin* dar voltas na tumba

Pois é, agora que estamos a 25 dias (e a contagem decrescente continua) para o início dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, chegou a hora dos responsáveis pelo evento universal virem dar um “arzinho da sua graça” mostrando ao mundo o resultado dos seus “T.P.C.”.

Zhang Zhenliang (fixem este nome pois desconfio que ainda vão ouvir falar muito dele) é o subdirector do departamento de voluntários do BOCOG (Beijing Organizing Comité Olympic Games) e, em conferência de imprensa, veio dar conta das “novas” regras a respeitar pelos espectadores que resolverem deslocar-se a Pequim para assistirem aos jogos. Segundo o responsável chinês, para além de comprarem bilhetes (obvio) os espectadores vão ter que cumprir um conjunto de 26 regras impostas pelo BOCOG (só?! Dirão os chineses!!).

O BOCOG especifica a coisa e diz que essas regras (editadas em livro) serão 22 restrições e 4 proibições visando, passo a citar o Sr. Zhang Zhenliang “...manter a ordem e a segurança”.

O Sr. Zhang Zhenliang apelou ainda aos espectadores que MEMORIZEM (coisa nunca vista na China, eles quase nem memorizam nada...) as normas olímpicas.

Do “livrinho” das regras e códigos de conduta durante os Jogos Olímpicos é possível retirar dúvidas acerca de algumas das proibições, vejamos alguns exemplos:

- não se podem tirar fotos com flash nos locais olímpicos;

- Máquinas de filmar e rádios não entram nos recintos;

- E estão proibidos comportamentos como a embriaguez, a nudez, o jogo (por esta é que eu não esperava), as manifestações (a sério!?), concentrações e protestos (quem diria?!).

As regras que foram promulgadas na passada segunda-feira aconselham ainda os espectadores a não trazerem cartazes ou panfletos de publicidade comercial, religiosa, politica, militar, de defesa dos direitos humanos ou de protecção animal ou ambiental (atenção que a ordem não é minha, é do Sr. Zhang Zhenliang) pois, segundo o mesmo responsável, estes VIOLAM OS PRINCIPIOS DO EVENTO OLIMPICO. (obviamente que sim, nunca uns jogos olímpicos serviram para fins PUBLICITÁRIOS e/ou de promoção RELIGIOSA, POLÍTICA, MILITAR ou outra... mas é que NUNCA na vida)

O BOCOG (não satisfeito com as proibições anteriores) enumera ainda uma lista de objectos proibidos como instrumentos musicais, buzinas, isqueiros fósforos ou outros e ADVERTE que é MAU PRINCIPIO abrir os guarda-chuvas e/ou sombrinhas durante os eventos desportivos (isso agora é que vai ser um GRANDE PROBLEMA... ai vai vai... proibir tudo o resto ainda vá, agora as sombrinhas é que não... isso é como tirar o oxigénio do ar que eles respiram). Serve tudo isto para, citando mais uma vez o “alto responsável” chinês, “...assegurar um ambiente de ordem, alegria e harmonia”.

No ponto seguinte, foi informado que a formação dos 800 mil voluntários que começou a ser efectuada no início do corrente mês inclui as chamadas “rotinas para incentivar os atletas”. Desta forma, aos voluntários, foi ensinado a APLAUDIR em quatro passos com lemas fáceis de memorizar (sem comentários!!), já tendo aprendido igualmente que têm que se levantar quando soarem os hinos nacionais dos diversos países (UAU!!) e que no final tem que apanhar o lixo (Ah bem, OK, afinal é mesmo fácil, 1- Levantar; 2– Aplaudir; 3- Apanhar o lixo. Até eu já MEMORIZEI). Por fim, e ainda segundo o mesmo responsável, de referir apenas que o “livro das regras” será fornecido com a compra do bilhete para o evento e que terá uma linguagem simples e directa. (ou como se diz em BOM PORTUGUÊS, será CURTO e GROSSO!)

Dispensa mais comentários, adoro ver toda esta HARMONIA e LIBERDADE. Por este andar vamos ter uns Jogos Olímpicos fantásticos... com toda a NATURALIDADE...

 

* Pierre de Frédy (Paris, 1 de Janeiro de 1863Genebra, 2 de Setembro de 1937), mais conhecido pelo seu título nobiliárquico de Barão de Coubertin, foi um pedagogo e historiador francês, tendo ficado para a história como o fundador dos Jogos Olímpicos da era moderna.

 

Tempo para hoje:
Quinta-feira, 10 de Julho de 2008

Nos automóveis, em Portugal é tudo LUXO

Recebi no outro dia um e-mail de uma newsletter onde estou inscrito desde que comprei carro há já alguns anos em Portugal. Essa newsletter nada tinha em especial, não fosse o facto de me “apresentar” um novo modelo que estaria em ESTREIA NACIONAL durante estes fins-de-semana (o anterior e o próximo). O curioso da questão é que conheço MUITO BEM o modelo, pois vejo-o anunciado por aqui desde DEZEMBRO de 2007 e a circular nas ruas e estradas pelo menos desde Março desde ano, ou seja, à primeira vista pareceu-me um pouco ridículo estarem a anunciar em Portugal em ENORME ESTREIA de uma carro que estou farto de ver há meses.

Acontece que essa curiosidade levou-me a entrar na newsletter e a “perder” algum tempo para ver que diferenças havia entre o carro em Portugal e na China e cheguei a uma conclusão desoladora, o carro é o mesmo, o equipamento é o mesmo, as cores disponíveis são... as mesmas... e as únicas coisas que são mesmo diferentes em toda esta questão é que a versão TOPO DE GAMA é a versão BASE aqui e enquanto aqui custa cerca de 22 500€ em PORTUGAL... o MESMO CARRO, a MESMA VERSÃO... custa a módica quantia de 49 000€... sim, leram bem e não há nenhum engano... é isso mesmo... (e se o meu excel não me falha) em Portugal o mesmo carro custa mais 117,778% que aqui.

Razão para dizer, em Portugal ter carro, seja ele qual for, é mesmo possuir um bem de LUXO... estamos ou não estamos de “Accord”.

 até fico de olhos em bico

Tempo para hoje:
Quarta-feira, 9 de Julho de 2008

Profissões “Tipicamente” Chinesas

Já não é novidade (pelo menos para quem lê o blog) que na China o conceito de profissões por género (masculino ou feminino) é pouco ou nada vulgar. Há uns bons tempos (vide aqui) dei-vos a conhecer o facto de aqui existirem, E MUITAS, “mulheres das obras” uma profissão que no “nosso” (meu) conceito ocidental é tipicamente masculina (põe masculina nisso).

Pois é, hoje tive mais uma surpresa, fui com o carrito à revisão, coisa mais do que comum... o que é pouco ou mesmo nada comum é o facto de ter dado de caras não com um “vulgar” mecânico mas sim com UMA “MECÂNICA” (será que existe sequer este termo?) isso mesmo, uma mulher, e, ao que sei, foi ela que me mudou o óleo (ao carro) entre outros serviços da vulgar manutenção.

E atenção que não é uma “oficina qualquer” ao lado do meu carro estavam (para o mesmo serviço) 2 “cavallinos rampantes” (se não sabem o que é vão ao Google) ;-)

Não sei se o carro estranhou ou não o “toque feminino” mas fica registado de facto mais uma das surpresas deste mundo à parte chamado China.

 

Tempo para hoje:
Quinta-feira, 3 de Julho de 2008

Fast-food portuguesa... na China?!

Todos sabemos que o mundo é cada vez mais GLOBAL... e que essa globalização se vê em inúmeros aspectos do nosso dia-a-dia... a chamada “fast-food”, de conceito americano foi uma das coisas que se expandiu rapidamente e hoje em dia é possível de encontrar em todos (ou quase todos) os cantos do mundo... (e arredores) e a China não é disse excepção (antes pelo contrário). Até aí tudo normal, agora o que eu não estava à espera era de encontrar comida “portuguesa” incluída no menu da “fast-food” americana... na China.

No outro dia, ao “ler” um desses folhetos que são colocados nas caixas do correio (sim, aqui também há disso) fui surpreendido ao encontrar isso mesmo, comida “portuguesa” (ou pelo menos com designação disso) num folheto da PizzaHut.

 

 

Site

É um facto, além de existir comida “fast-food” portuguesa na China ela é LARGAMENTE recomendada tanto nos folhetos promocionais como no próprio site da marca americana.

Vejamos alguns exemplos:

Vegetais Cozinhados com Molho Português

Galinha à Portuguesa com Arroz ou Esparguete

 

Parece que definitivamente os chineses não só estão rendidos à “fast-food” como ao toque ocidental da comida portuguesa.

A que é que sabe?!

Ainda não provei! É que para mim comida portuguesa é mesmo um belo BITOQUE ou um BACALHAU mas se isso acontecer, darei conta disso...

Tempo para hoje:

Informação NADA Interessante

pesquisar

 

Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Chinesices

A China e a “Anti-globali...

Ano do Búfalo?!

O Natal na terra de Mao

Capitalismo "Made in Chin...

Pela China... Continuam a...

Haja paciência... de/para...

Os Jogos Olímpicos da Boa...

Nos automóveis, em Portug...

Profissões “Tipicamente” ...

Fast-food portuguesa... n...

Chinesices mais Antigas

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

tags

todas as tags